Publicado em 07/05/2014

Pesquisadoras da FOB-USP recebem prêmio “Excelência em Audiologia”

As fonoaudiólogas Thais Freire e Letícia Cristina Vicente (jaleco) recebem o certificado do Prêmio Excelência em Audiologia no 29º Encontro Internacional de Audiologia (EIA), em Florianópolis. Crédito: Divulgação.
As fonoaudiólogas Thais Freire e Letícia Cristina Vicente (jaleco) recebem o certificado do Prêmio Excelência em Audiologia no 29º Encontro Internacional de Audiologia (EIA), em Florianópolis. Crédito: Divulgação.

Pesquisa de Mestrado em Fonoaudiologia da Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo (FOB-USP) recebeu o Prêmio Excelência em Audiologia. A premiação aconteceu no dia 16 de abril durante no 29º Encontro Internacional de Audiologia (EIA), em Florianópolis.

Os estudos foram desenvolvidos no Departamento de Fonoaudiologia da FOB-USP e no Centro de Pesquisas Audiológicas do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (CPA-HRAC-USP). Cerca de 300 trabalhos foram submetidos, 22 foram aprovados para a etapa final e apenas cinco foram premiados, entre eles o realizado pelas pesquisadoras da FOB-USP.

Sob o título "Potenciais Evocados Auditivos Corticais na remediação fonológica de crianças com distúrbio de aprendizagem", a pesquisa foi objeto da dissertação de Mestrado da fonoaudióloga Thais Freire, orientada pela Profa. Dra. Patrícia Abreu Pinheiro Crenitte, coorientação da Profa. Dra. Kátia de Freitas Alvarenga em parceria com as fonoaudiólogas Letícia Cristina Vicente e Raquel S. Agostinho-Pesse. Contou com o apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Em linhas gerais, o trabalho pesquisou a aplicabilidade de um exame audiológico conhecido como Potencial Evocado Auditivo Cortical (PEAC), utilizado para avaliar o desenvolvimento de estruturas corticais auditivas, em crianças com distúrbios de aprendizagem.

O exame foi realizado antes e após a remediação fonológica -terapia fonoaudiológica voltada ao treino das habilidades de leitura e escrita- e revelou que a intervenção foi eficaz, pois após a aplicação da remediação foram observadas modificações nas estruturas corticais auditivas de crianças com problemas de aprendizagem.

Jornalista Responsável: Luis Victorelli, MTb 21.656

mais notícias